Fogo amigo: “Tenho 48 pontos, Victor 12 e Waldemar Oliveira não é pré-candidato”, diz Carlos Evandro

Em entrevista à comunicadora Juliana Lima, da Rádio Serra FM, nesta sexta-feira(25), no Aeroporto Santa Magalhães, em Serra Talhada, o ex-prefeito Carlos Evandro, revelou números das pesquisas internas do grupo do deputado federal Sebastião Oliveira, na briga pela cabeça de chapa do grupo nas eleições de 2020.

Carlos Evandro reafirmou sua permanência no grupo de Sebastião, garantiu que está livre juridicamente para disputar as eleições e revelou liderar as pesquisas internas do grupo.  “Sou pré-candidato do meu lado, de Sebastião Oliveira. O prefeito tem bem uns trinta, aqui tem Victor, eu e Alan. Sabem que estou elegível, tinha umas contas rejeitadas, recorri e ganhei; outras estão chegando que já ganhei também. Queria saber qual o prefeito que não tem contas rejeitadas. O daqui (Serra Talhada) está com três e nem começou ainda. A preocupação comigo é porque eu me destaco com o trabalho que fiz, e vou dizer de novo à população: se não fosse elegível não ia fazer papel de besta andando todo fim de semana pelos distritos”, comentou.

Questionado sobre as discussões dentro do grupo acerca da indicação do escolhido respondeu que será através de pesquisas. “Pesquisa. Você veja a pesquisa como é que Carlos está, eu tenho quarenta e oito e Victor 12, os outros tem quanto?”. Sobre Waldemar Oliveira, disparou: “Waldemar não sei, não vi ele lá não. Waldemar não é pré-candidato, não que eu saiba. Nós o apoiamos para senador, mas respeito se ele estiver melhor que eu, agora tem que ter pesquisa, é justo”, disse.

Ele descartou ainda a possibilidade de sair do grupo, caso não seja o escolhido, e disse topar ser vice, caso alguém cresça mais que ele nas pesquisas. “Eu estou aliado a qualquer um que esteja melhor que eu nas pesquisas, não tenho nenhum constrangimento e retiro minha candidatura, se qualquer um estiver melhor que eu, eu topo, agora eu estando com quarenta e oito e ele (Victor) com doze, não posso ser vice dele.

Quanto à possibilidade de união com Luciano Duque, descartou. “Certeza que não, Carlos Evandro é homem de palavra, que é coisa rara em política. Eu dei e cumpro. Minhas contas foram rejeitadas e eu fiz questão de apoiar Luciano, se não tivesse feito Sebastião tinha me apoiado, mas dei minha palavra e cumpro”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *